top of page

Casos reais de mulheres reais

Durante as pesquisas alguns casos foram citados como os mais marcantes na história, casos reais que ilustram um pouco sobre o tema e contam um pouco sobre o que essas mulheres passam todo dia. Infelizmente a maioria dessas mulheres estão mortas e essas histórias são contadas por terceiros e pelas vítimas.

OBS: Todos os casos tem como objetivo ilustrar o que a violência doméstica causa, em momento nenhum o objetivo é desrespeitar a família da vítima ou a vítima. Foi feita uma pesquisa em cada caso para trazer a maior fonte de informações possíveis.

Caso Eloá Cristina Pimentel – “Após 100 horas de cárcere privado, adolescente é morta com um tiro na cabeça.”

No dia 13 de outubro de 2008, em Santo André – SP, Lindemberg Fernandes Alves, 22 anos, invade o apartamento da sua ex-namorada, Eloá Cristina Pimentel, 15 anos – ela se encontrava com mais três amigos fazendo um projeto escolar. O agressor não aceitava o fim do relacionamento de dois anos e três meses e decidiu “conversar” com a vítima. O cárcere durou mais de 100 horas, no primeiro momento ele liberou dois reféns, ficando no apartamento somente Eloá e Nayara Silva, 15 anos.

Esse caso ficou bastante conhecido por conta do tempo do sequestro e da relação agressor x mídia x polícia. No dia 14 de outubro, Nayara foi libertada as 22:30 horas para voltar para casa, apesar de muito assustada, a adolescente se encontrava bem fisicamente. Todo o momento Lindemberg e Eloá apareciam na janela, a vítima sempre pedia calma e dizia que estava tudo bem com ela.

15 de outubro/2008 - os policiais mandaram a amiga de volta para o apartamento para tentar uma negociação mais próxima com o algoz, mas ele a fez de refém novamente. Pelos relatos, Lindemberg ficava assistindo o sequestro pela televisão e vendo o que os veículos de notícia falavam sobre o caso.

18 de outubro – a polícia alega ter escutado um tiro dentro do apartamento e decide invadir o local, nesse momento o sequestrador atira em Eloá, na virilha e na cabeça, e em Nayara, no rosto. Eloá vem a óbito duas horas depois, as 23:30, por morte cerebral.

16 de fevereiro de 2012 – após quatro dias de julgamento, o réu foi condenado a 98 anos de prisão e foi indiciado por homicídio, duas tentativas de homicídio, cinco cárceres privados e quatro disparos de arma de fogo.


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page